Home Política Selo postal: uma justa homenagem à vereadora Vilma Rodrigues

Correios lançam homenagem à vereadora, após pedido do presidente da Câmara Municipal

MARCOS VIEIRA

O lançamento do selo postal em homenagem à vereadora Vilma Rodrigues, na noite de quinta-feira (24.mai) na Câmara Municipal, foi carregada de emoção para familiares, amigos e colegas da professora, radialista e voluntária em diversas causas sociais, morta no dia 14 de março deste ano em Anápolis.

O presidente da Câmara Municipal, Amilton Filho (SD), deu o tom da solenidade já na sua saudação inicial, ao falar da maneira como Vilma exerceu sua breve passagem pela Casa, um misto de mãe de todos e defensora intransigente das causas dos realmente menos favorecidos.

“Que esse selo seja portador de boas notícias aonde ele chegar”, frisou Amilton. A ideia da homenagem partiu do presidente da Câmara, depois de acompanhar ao lado do prefeito Roberto Naves (PTB) um evento semelhante, no Palácio das Esmeraldas, em homenagem ao ex-prefeito de Itumbiara José Gomes.

Também presente na solenidade, Roberto falou sobre seu relacionamento com Vilma, que por diversas vezes entrou em seu gabinete pedindo ajuda a idosos e doentes. “E quando ela se deparava com a Vivian [Albernaz], dizia que resolveria as coisas com ela, pois é a mulher que manda. Então ela saia com a primeira-dama para conversar”, revelou.

O prefeito confirmou que a próxima homenagem a Vilma Rodrigues será a efetivação de um projeto surgido a partir de um projeto da vereadora aprovado na Câmara, que é a creche para idosos. Famílias carentes terão um espaço para deixar seus parentes mais velhos, aos cuidados de profissionais, enquanto trabalham.

A família de Vilma foi representada pelo seu filho, o delegado Manoel Vanderic. Em um discurso emocionante, ele falou o quanto sente a presença da mãe em sua vida e também nas pessoas que o procuram para falar sobre ela. “É impressionante: quando converso sobre minha mãe com alguém, a gente começa chorando e termina rindo do jeito que ela era”.

A solenidade foi marcada também pela presença dos irmãos de Vilma Rodrigues, José Carlos, Neide, Lúcia e Gislene. A filha da vereadora, Mona Corrêa, acompanhou o evento através das redes sociais, já que mora em São Paulo. A equipe que trabalhou com Vilma na Câmara também estava presente, além de amigos de longa data e pessoas que se foram importantes para a família no momento da dor.

Vilma Rodrigues deu entrada em um hospital em Goiânia no dia 27 de janeiro, para retirada de um tumor benigno na base do cérebro, mas complicações após esse procedimento fizeram com que seu quadro só piorasse. Sua morte, no dia 14 de março, causou forte comoção em Anápolis.

A morte de Vilma aos 57 anos de idade encerrou de forma prematura uma trajetória pública no qual os anapolinos depositavam imensa esperança. A mulher que depois de ter criado seus filhos decidiu fazer carreira nos meios de comunicação e se candidatou a vereadora porque entendeu que só assim ampliaria a vocação aprendida com o pai de dar assistência aos mais carentes, foi uma das poucas que manteve intocado seus ideais após a vitória nas urnas, em 2016.

A obliteração do selo postal em homenagem a Vilma Rodrigues foi conduzida pelo superintendente de Operações dos Correios em Goiás, Osmar Caldeira Júnior. A peça será usada em todas as correspondências oficiais do Legislativo e está disponível também para a população, à venda nas unidades da empresa em Anápolis.

Trajetória
Vilma Rodrigues Corrêa nasceu em 31 de março de 1960, no distrito de Interlândia. Filha de Oraldina Alves Pereira e José Rodrigues Sobrinho, já falecidos. Tem três irmãos e quatro irmãs.

Vilma teve uma infância rural, na “Nossa Fazenda”, que pertencia à atriz norte-americana Mary Martin. Ela teve dois filhos: Manoel Vanderic e Mona Correa e um neto, Davi.

Graduou-se em Pedagogia na Unievangélica e foi professora do ensino fundamental. Ingressou na imprensa na Rádio São Francisco de Anápolis. Depois, foi apresentadora na Rádio Manchester, onde era reconhecida pela alegria e pela marcante risada.

Era apreciadora da típica comida da roça, lançou seu primeiro livro de receitas no ano de 2016. Depois, atuou efetivamente na assistência social, atividade herdada do pai, que acolhia idosos e pessoas com deficiência. Foi eleita vereadora, pelo PSC, em sua primeira candidatura, com 3577 votos.

Em um ano, dois meses e 14 dias de mandato, se notabilizou pela defesa de projetos e ações em benefício das pessoas idosas e daquelas afetadas pelo câncer. Morreu em 14 de março de 2018.

Deixe um comentário