Ad
Home Editoriais Cidades Primeiro diretor quilombola é nomeado para Escola Estadual

Cinco escolas são atendidas pela regional de Campos Belos e estarão sob a gestão do novo diretor

O Mestre em Educação do Campo, professor Adão Fernandes da Cunha, será o primeiro diretor quilombola a integrar a equipe da gestão das escolas Kalunga junto à Coordenação Regional de Educação (CRE) de Campos Belos. A nomeação, inédita na Rede Estadual de Educação de Goiás, foi realizada pela secretária da Educação de Goiás, Fátima Gavioli, durante uma reunião com representantes da Associação Quilombo Kalunga, professores, pais e alunos.

A participação da comunidade na escolha dos gestores das unidades escolares Kalungas era uma das demandas, apresentadas em reunião na última sexta-feira (07/02). Com auxílio da equipe da Superintendência de Modalidades e Temáticas Especiais da Secretaria de Estado da Educação (Seduc) e da coordenadora regional Natalícia dos Santos Pereira, os representantes comunicaram à vontade à secretária da Educação, que prontamente atendeu ao pedido e propôs a escolha de um novo diretor.

Para a gerente de Educação do Campo, Quilombola e Indígena, Valéria Cavalcante da Silva Souza, a nomeação é um marco histórico para a educação Kalunga. “É a oportunidade para eles (povo Kalunga) se fortalecerem e mostrarem que têm a condição de assumir a educação. Uma educação quilombola que, muitas vezes, outras pessoas fazem por eles” – afirma a gerente.

Cinco escolas quilombolas Kalunga são atendidas pela regional de Campos Belos e estarão sob a gestão do novo diretor, sendo elas: Escola Estadual Calunga I, no município de Cavalcante; Escola Estadual Reunida Calunga II, Escola Estadual Calunga IV e Escola Estadual Calunga V, em Monte Alegre de Goiás; e Escola Estadual Calunga III, em Teresina de Goiás. Em cada uma delas, há extensões que também são atendidas pela CRE.

Próximas demandas

Apesar da nomeação, os representantes da comunidade escolar Kalunga têm outras demandas a serem atendidas. Uma delas, de acordo com o técnico pedagógico da Gerência de Educação do Campo, Quilombo e Indígena, Francisco Alves Barbosa, é a tornar a gestão mais próxima às unidades escolares.

Segundo dados da Superintendência de Modalidades e Temáticas Especiais da Seduc, para chegar à Escola Estadual Calunga I, localizada no município de Cavalcante, o gestor precisa percorrer cerca de 240km. A distância representa um dos desafios a serem enfrentados pelo novo diretor, já que este estará lotado na cidade de Campos Belos.

A proposta para a criação de unidades gestoras nos municípios que abrigam escolas quilombolas chegou a ser apresentada no encontro com a secretária, mas, por inviabilidades legislativas e de pessoal, não pode ser atendida. A demanda, porém, está sendo analisada pela equipe da Seduc e deve estar na pauta das próximas reuniões. (Comunicação Setorial da Secretaria de Estado da Educação)

Comunicação Seduc

Deixe um comentário