Ad

Empreendimentos vão receber até R$ 60 mil em recursos não reembolsáveis

O Governo de Goiás, por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás (Fapeg), publicou nesta terça-feira, dia 26, a lista final de aprovados no Programa Nacional de Apoio à Geração de Empreendimentos Inovadores, o Programa Centelha Goiás. Vinte e oito projetos inovadores foram selecionados e vão receber, cada um, até R$ 60 mil não reembolsáveis para execução de seus negócios. Os benefícios serão concedidos pelo Governo de Goiás e pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep).

Além dos 28 selecionados, outros 22 projetos foram aprovados como suplentes para serem contemplados em caso de desistência ou inabilitação entre os primeiros aprovados ou havendo disponibilidade de recurso. A escolha levou em consideração as melhores propostas de empreendimentos de base tecnológica que apresentaram ideias inovadoras, seja produtos (bens ou serviços) ou processos.

Dos 50 projetos selecionados, 25 estão no estágio de protótipo testado, 10 na fase de protótipo finalizado, sete de protótipo conceitual, seis em fase comercialização pioneira e dois em fase de ideia. Os setores de aplicação dos projetos que mais se destacaram foram Saúde e Bem Estar (18), Meio Ambiente e Bioeconomia (14), Agronegócio (13), Fabricação de Alimentos e Bebidas (08), Economia Criativa (7) e Químico (7).

Em relação às áreas temáticas, Química e Novos Materiais foi a linha com maior aprovação (10 projetos – 20%), seguida por Tecnologia Social (09 projetos – 18%), Biotecnologia e Genética (6 projetos – 12%), Mecânica e Mecatrônica (4 projetos – 8%), TI e Telecom (4 projetos – 8%), Inteligência Artificial e Machine Learning (3 – 6%), Nanotecnologia (3- 6%), Automação (2- 4%), Big Data (2-4%), Design (2-4%), Internet das Coisas (IoT) (2-4%), Manufatura Avançada e Robótica (2-2%) e Realidade Virtual (1).

Na fase de inscrições, o programa recebeu ideias criativas de 64 municípios goianos, tendo representantes das regiões Centro, Leste, Noroeste, Norte e Sul. No resultado final, entre aprovados e suplentes, empresas de nove municípios receberão recursos do Centelha. Goiânia saiu na liderança, com 36 submissões aprovadas, seguida por Rio Verde (5), Aparecida de Goiânia (2), Catalão (2), Anápolis (1), Bela Vista de Goiás (1), Caldas Novas (1), Goianira (1) e Jataí (1).

No que se refere ao perfil dos profissionais selecionados, 70% dos autores possuem pós-graduação, 28% possuem ensino superior, e 2% ensino médio ou técnico. A maior parte dos projetos é liderada por profissionais com idade entre 25 e 30 anos (16 projetos), entre 31 e 40 (14), entre 41 e 50 (8), entre 18 e 24 (7) e entre 51 e 60 anos (5). Entre os proponentes, 60% são homens e 40%, mulheres.

Dezenove dos negócios eleitos não apresentam vínculo com nenhuma instituição acadêmica. No entanto, 10 selecionado têm a Universidade Federal de Goiás (UFG) como instituição de vínculo, três a Universidade Estadual de Goiás (UEG), dois o Instituto Federal Goiano (IF Goiano) e dois da Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC Goiás). Uni-Anhanguera, Instituto Federal de Goiás (IFG), Instituto Unificado de Ensino Superior Objetivo (IUESO) e Fesurv tiveram um projeto vinculado cada. Outras dez instituições ainda aparecem como unidade de vínculo de projetos selecionados.

Prazos

Segundo o cronograma do edital, o prazo para a constituição da empresa e inserção de documentos para a contratação vai até o dia 27 de julho. A contratação dos projetos selecionados deverá se dar até 11 de agosto de 2020. Os projetos serão acompanhados por um ano após a contratação.

O resultado preliminar do Programa Centelha foi publicado no dia 5 de maio de 2020. Os selecionados tiveram o período de 6 a 19 de maio para recorrer do resultado. Os proponentes que entraram com recurso tiveram seus projetos avaliados por um terceiro parecerista, conforme metodologia estabelecida pela Fundação Certi (operadora do Programa), Finep e Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC).

Centelha Goiás

Em Goiás, o programa foi lançado no dia 5 de setembro de 2019 e teve suas inscrições encerradas no dia 21 de outubro. O programa foi executado em três etapas, com capacitações, oficinas, workshops com especialistas em várias áreas. Foram contabilizadas 917 ideias inscritas inicialmente e 2.185 empreendedores cadastrados, sendo 202 ideias aprovadas na primeira etapa, 102 na segunda e 28 nesta fase final.

Goiás contou com a mobilização de diversos parceiros na articulação institucional dos atores dos variados ecossistemas que contribuíram para a melhoria da qualidade das propostas de empreendimentos submetidos tais como incubadoras, aceleradoras de empresas, espaços de coworking, parques, laboratórios e polos tecnológicos.

O Centelha Goiás é promovido pelo Governo do Estado por meio da Fapeg, em parceria com o MCTIC, o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e o Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap), e operado pela Fundação Certi.

Confira alguns dos projetos selecionados:

1º ugar
Rays-X of Seeds (Rio Verde/Biotecnologia e Genética) – A  Startup tem como foco principal a prestação de serviço via técnica de raios-X de semente, relacionando com os testes de germinação, emergência e tetrazólio para diversos públicos-alvo, como empresas de produção de sementes, programas de melhoramento genético, laboratórios, universidades e instituições de pesquisa.

2º Lugar
IndustryCare (Goiânia/Big Data): Ajuda na geração e gestão dos dados industriais, instalando sensores e medidores IoT e coletando dados do chão de fábrica, sem CAPEX para o cliente. Com esses dados, entrega uma interface analítica que apresenta, em tempo real, o comportamento e desempenho de máquinas e processos, comprova ineficiências, controla KPIs e ajuda a tomar decisões orientadas por dados.

3º Lugar
Bobjet – Hair Therapy (Goiânia/Mecânica e Mecatrônica): Tem como objetivo estruturar um negócio para o mercado da beleza, 100% voltado para a experiência e para a saúde das clientes, empregando tecnologia e inovação como um eixo transversal de desenvolvimento e essencial à nossa cultura organizacional.

6º Lugar
Sensor descartável para identificação de adulterantes em leite bovino (Goiânia/Química e Novos Materiais): O dispositivo proposto tem a finalidade de detectar adulterantes em amostras de leite de forma simultânea, e serão destinados a laticínios, agências e órgãos de fiscalização que queiram certificar a qualidade do leite produzido. Ao longo do Centelha, o produto foi aprimorado em um “Card”, que detecta, por enquanto a presença de cinco adulterantes no leite bovino. Este “Card” terá um QR Code para o armazenamento do resultado gerado em um sistema web, garantindo a rastreabilidade.

7º Lugar
ArqColab (Goiânia/Design): Um backoffice de escritórios de arquitetura e design que contribui para a entrega de projetos mais completos. Facilita a terceirização de etapas do projeto por meio de smart contrats. Une os profissionais que estão sobrecarregados aos que querem renda extra, oferecendo oportunidades e garantias de pagamento aos envolvidos. Gerencia o processo e reduz em 1/3 o tempo de trabalho, com um escopo eficiente e processos automatizados dentro da parte técnica e normatizada do projeto.

11º Lugar
Gamefy – Recrutamento e seleção orientado a dados (Goiânia/Inteligência Artificial e Machine Learning): A Gamefy propõe uma abordagem digital através de um processo de filtro de candidatos orientado a dados, utilizando técnicas de inteligência artificial, aliadas a uma plataforma de uso de games para avaliação de candidatos em processo seletivos. Atualmente em fase de validação técnica e mercadológica, o primeiro game e a 1ª versão da plataforma demonstraram resultados promissores aplicados em universidades, onde foi demonstrada a consistência da solução e sua viabilidade.

12º Lugar
Monitoramento passivo da qualidade do ar em municípios de baixa renda (Goiânia/Tecnologia Social): Almeja-se colocar no mercado um sistema de monitoramento passivo da qualidade do ar atmosférico, cujo diferencial é o baixo custo e possibilidade de consecução do monitoramento jejuno de fontes de energia externas. Desde o início do projeto Centelha realizou-se a validação do sistema que se demonstrou eficaz para o monitoramento de poluentes orgânicos e inorgânicos.
Foram feitos testes de mercado no ramo automobilístico e farmacêutico com respostas positivas para a utilização do sistema proposto

13º Lugar
Nanotec Lashes – inovação em produtos para beleza e cosméticos (Goiânia/Nanotecnologia): Nanotec Lashes são cílios que utilizam nanopartículas magnéticas não tóxicas para fixação, com potencial magnético bastante superior ao dos produtos disponíveis atualmente, além de produção com baixo custo e alta escalabilidade. A iniciativa com inovação a partir do uso de nanotecnologia se diferencia dos produtos existentes no mercado, que são na sua maioria fixados com cola, e frequentemente se descolam ou mudam de posição durante o uso e, portanto, carecem de um substituto mais eficaz.

19º Lugar
Plataforma Kolabe (Caldas Novas/Tecnologia Social): é uma rede social profissional em que empreendedores oferecem ou prestam serviços uns aos outros, bem como oferecem entre si algum outro tipo de colaboração/auxílio. É uma plataforma gamificada em que os melhor avaliados ficam mais visíveis para os outros, aumentando suas chances de fazerem negócios. Os empreendedores podem ser ora prestadores de serviços, ora clientes, ora colaboradores. Estamos entrando para o terceiro ciclo de feedbacks-melhorias para alcançar o product market fit.

Comunicação da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás (Fapeg) – Governo de Goiás

 

Deixe um comentário