Home Economia Dia dos Pais é esperança para elevar as vendas no comércio

LUIZ EDUARDO ROSA

A Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) indica traços de maior otimismo frente à crise econômica no comércio varejista, pois o Dia dos Pais se apresenta como mais uma oportunidade de aumentar as vendas e girar o estoque. As intenções apresentadas na pesquisa realizada em julho mantêm uma tradição na intenção ao presentear os pais e outra tendência passa a repetir, que é o pagamento à vista. Na contramão dos tipos tradicionais de presentes, o que eles tem intenção de ganhar são outros itens.

Uma pesquisa foi realizada entre os dias 22 e 26 de julho, com 400 pessoas entrevistadas, para mapear a intenção de compra para o Dia dos Pais. O aumento de informações dos estabelecimentos comerciais à CDL, para o SPC Brasil, apontou um crescimento progressivo nos meses de maio (Dia das Mães) e junho (Dia dos Namorados). “Estas datas sazonais são oportunidades para que o comerciante faça um volume de caixa maior, elas foram as maiores movimentações neste período de crise”, explica o presidente da CDL, Wilmar Jardim.

“Esta é uma oportunidade para que o comerciante faça um maior giro de estoque para mercadorias novas, então uma das sugestões é a realização de promoções”, explica Wilmar. Ele aponta que toda a atenção midiática para a data é um impulso para o comerciante aproveitar o momento vendendo mais. De uma forma geral, as tendências se mantém como outras pesquisas passadas, principalmente no que se refere à intenção de compras e valor a ser gasto no presente.

Cerca de 65% dos entrevistados pretendem realizar o pagamento em dinheiro, 29% optam pelo cartão de crédito, 2% cartões das redes de lojas em varejo e outros 2% no crediário. “Com a experiência da crise, o consumidor mudou seu comportamento preferindo não deixar dívidas utilizando crédito”, explica Wilmar. As faixas de valores que representam o maior percentual de consumidores entrevistados são de R$ 100 a R$ 300, sendo 48%, em seguida vem os 38% que pretendem gastar entre R$ 50 e R$ 100.

O tradicionalismo marca muito a preferência no gênero do presente pelos entrevistados em Anápolis, não somente em pesquisas anteriores, como em outras datas, como Dia das Mães, Dia dos Namorados e Natal. A única exceção é para o dia das crianças, na qual imperam os brinquedos como a principal escolha, segundo Wilmar. Em um percentual de entrevistados de 40%, a intenção é de comprar itens de vestuário para presentear os pais. Em seguida, 16% dos entrevistados se pronunciaram indecisos, logo depois os 15% que desejam comprar calçados.

Os dados das pesquisas de intenção do que os pais querem ganhar na data apresentam a ordem praticamente inversa à intenção de quem presenteia os pais. A maioria dos pais entrevistados, com um percentual de 33% não sabia na ocasião da entrevista o que queriam ganhar e 25% produtos diversos. Em sequência seguem as preferências pelos pais por perfume (14%), aparelhos eletrônicos (9%), celulares (9%) e por fim as roupas ficam em 5%. Este padrão vem sendo percebido nas pesquisas de intenções há no mínimo três anos.

Os filhos não são exclusividade entre os que presenteiam, outras ligações de parentesco e relação familiar estão presentes por parte dos consumidores entrevistados. Os 64% dos entrevistados presentearão os pais, em sequência de maiores percentuais para os menores, estão a esposa (19%), amigo ou conhecido (8%), sogro (5%), avô (3%) e padrasto (1%). As intenções de local para efetuar a compra dos presentes estão as lojas localizadas nas ruas (71%), shoppings (18%), indecisos (4%), galerias (3%), camelódromo (2%) e supermercado (2%).

Deixe um comentário