Home Cidades Trânsito violento: 20 mortes em Anápolis até o mês de abril. Delegado...

Dentro destes casos, então aquelas pessoas que morreram no local e que ficaram lesionadas, foram socorridas, mas não resistiram no hospital

ANA CLARA ITAGIBA

Logo nos primeiros três meses do ano, Anápolis já registrou um número considerável de acidentes fatais no trânsito, se comparado ao ano passado. Nesse período, foram 20 casos registrados, sendo que em 2017, foram aproximadamente 60. Dentro destes casos, então aquelas pessoas que morreram no local e que ficaram lesionadas, foram socorridas, mas não resistiram no hospital. Os dados foram repassados pelo titular da Delegacia de Trânsito, o delegado Manoel Vanderic, que garantiu que a embriaguez ao volante é o grande motivador.

Segundo ele, a desorganização no trânsito e a falta de cautela do condutor, também são fatores importantes, mas o álcool é o principal. “Quando acontece um acidente, faz-se o teste do bafômetro no motorista sobrevivente. Caso o indivíduo tenha vindo a óbito, o exame de alcoolemia é feito por meio do sangue e na grande maioria dos casos, o exame dá positivo”, contou Vanderic.

Operações para coibir este tipo de combinação têm sido realizadas desde o ano passado na cidade e a incidência tem diminuído, gradativamente, desde então. “O número de prisões que efetuamos é assustador. Depois da meia noite, durante os fins de semana, se você sair na rua verá muita gente dirigindo embriagada. Se pararmos todo mundo, cerca de 80% das pessoas, estão sob efeito de álcool”. Devido a isso, as operações serão intensificadas ainda mais nas próximas semanas.

Como a demanda é muito grande, a equipe da Delegacia de Trânsito não consegue efetuar tantas abordagens e prisões como gostariam. Entretanto, o delegado percebeu que parte da população está mais consciente e buscando formas alternativas de se divertir, sem associar com a direção.

Por outro lado, existem aqueles que insistem no erro. “Tiveram pessoas que começaram a reclamar. Até donos de bares fizeram comitivas atrás de políticos querendo me tirar da Delegacia, se manifestando contra essas operações porque diminuiu muito o consumo de álcool” contou.

Vale ressaltar que as operações não têm como objetivo proibir as pessoas de se divertirem. O foco é impedir que o condutor coloque a sua vida e de outras pessoas em risco por conta de um momento de irresponsabilidade.

Dirigir embriagado é crime e a pessoa que for pega deve arcar com inúmeras consequências. O artigo 165 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB) prevê multa de R$ 2.934,70, é infração gravíssima e sete pontos na carteira. Além disso, a pessoa irá presa e a fiança equivale a 100 salários mínimos, para que responda o processo em liberdade.

Ninguém é obrigado a soprar o bafômetro, mas a polícia não precisa dele para efetuar a prisão. “Se abordarmos uma pessoa e ela apresentar qualquer sinal de embriaguez, como olho vermelho, hálito etílico e perda de coordenação motora, ela será presa”.

Na verdade, assoprar o bafômetro é uma garantia que o condutor tem de não ser preso, pois se for constado que a concentração de alcoólico é menor que 0,30 mg/L de ar expelido, ela irá responder apenas por uma infração administrativa. Nesses casos outro motorista é chamado e ele é liberado.

Já aquele indivíduo que provocar uma morte no trânsito responderá por homicídio culposo, quando há intenção de matar. “A nossa equipe irá investigar e responderá por todos os seus atos”, afirmou o titular da Delegacia de Trânsito.

Diante de todas essas questões, Vanderic fez questão de deixar um alerta. “O carro é uma arma muito mais poderosa que um revolver. Se a polícia está na rua para prender armas de fogo, por que a gente não pode prender um motorista embriagado? Um acidente mata três, quatro ou até cinco pessoas. Destrói uma família inteira”, ressaltou.

Grandes eventos
Em grandes eventos, a equipe da Delegacia de Trânsito também agirá mais incisivamente. “A PRF sempre fará operações e a Polícia Civil dará total apoio. Queremos encher o ônibus de motoristas embriagados. Então eu aconselho que todo mundo que for pensando em beber, arrume uma carona ou outra pessoa para dirigir, porque se não vai ser preso”, afirmou Manoel Vanderic.

Deixe um comentário