Home Esportes Atleta anapolino Jean Patrick é destaque no Muay Thai na Tailândia

Aos 22 anos, Jean Patrick coleciona vários títulos e prestígio, conquistados em disputas internacionais

ANDRÉ RIBEIRO

Com apenas 22 anos, o anapolino Jean Patrick é um dos destaques nos campeonatos de Muay Thai na Tailândia e na China. O lutador coleciona troféus e prestigio por onde passa. A cidade onde iniciou sua caminhada na Tailândia se chama Phuket, situada no sul do país.

A falta de patrocínio no esporte é o principal desafio que os atletas enfrentam. Para ir a Tailândia treinar e lutar, Jean teve que trabalhar com o pai e juntar o dinheiro da passagem. Ao chegar ao país se sustentou através do dinheiro que ganhava nas lutas amadoras, pois elas fazem parte da cultura tailandesa.

Jean não esconde a dificuldade. “Não tenho nenhum patrocínio, tanto que quando sai daqui foi tudo com dinheiro do meu bolso, no qual trabalhei e juntei o dinheiro da passagem e lá, na Tailândia, consigo me manter com o dinheiro das lutas”, disse.

O início de Jean Patrick no esporte foi por meio do convite de um amigo que o chamou para treinar na academia Lumpinee. Pelo fato de na época ele ter apenas 17 anos a preocupação de seu pai foi que se envolvesse em brigas nas ruas.

O lutador treinou um mês escondido dos pais. Quando foi descoberto estava prestes a completar 18 anos. Então seu pai lhe deu conselhos, instruiu, o liberou a treinar muay thai e, desde então, é seu maior apoiador no esporte.

Em média no Brasil para disputar uma luta amadora o cachê varia de R$ 300,00 a R$ 500,00. Em alguns lugares o lutador recebe ingressos da luta para comercializar e arrecadar esse valor. Pouco, se considerar que acontecem de uma a quatro lutas por mês.

Jean afirma que ir para a Tailândia é o caminho certo para quem quer seguir na carreira de lutador, pois além dos cachês serem melhores, a tradição do esporte no país e o custo de vida também faz valer a pena. “Quando se destacam em algumas lutas os promotores te levam para outros países, em outros campeonatos, e pagam tudo, desde visto, passagem aérea, hospedagem e comida, mas fora isso não há nenhum patrocínio para dar um suporte”, conta.

Na esperança de conseguir apoio para retornar à Tailândia e às lutas, Jean procurou vários segmentos. Visitou até gabinetes de alguns vereadores. Em Anápolis há o Bolsa Atleta que, no entanto, estabelece alguns critérios para ser distribuída. No âmbito estadual, disse Jean, há uma bolsa chamada “Pró-Esporte”, mas também encontra dificuldade para acessar o programa.

Mesmo com a falta de patrocinador o objetivo de Jean é continuar no Muay Thai e aos poucos migrar para o MMA (Artes Marciais Mistas). Já há algum tempo começou aulas de Jiu-Jítsu para se desenvolver no chão e posteriormente chegar ao MMA completo. “Jamais pensei em desistir, tenho consciência que é difícil e infelizmente faz parte, sempre estarei lutando para chegar aonde eu quero e vou continuar fazendo o que faço treinando, dedicando sempre e com certeza minha hora vai chegar”, pontua.

Na Tailândia Jean foi convidado a participar da Copa do Rei, em novembro do ano passado, valendo cinturão, mas nos exames que antecederam o campeonato foi detectada no lutador uma fratura no osso da perna, a fíbula, e os médicos tailandeses informaram que era caso cirúrgico.

Por conta de a cirurgia ser muito cara na Tailândia o lutador voltou para o Brasil para realizar o procedimento. Mas, ao fazer a tomografia, os exames apontaram que não precisava mais de cirurgia. “Foi Deus que colou o osso da minha perna”, acrescenta.

Agora o lutador tem a intenção de voltar aos treinos e campeonatos na Tailândia no meio deste ano e busca patrocínios para comprar sua passagem, que está em torno de R$ 6 mil.

Muay Thai
Muay Thai significa arte livre e é conhecida como a Arte das Oito Armas, por utilizar golpes combinados com os dois punhos, dois cotovelos, dois joelhos duas canelas e pés. As combinações são eficientes e certeiras.

Os praticantes da arte marcial de origem tailandesa são conhecidos pelo bom preparo físico, os treinos são intensos e exigem muito de seus adeptos. Todo golpe de Muay Thai tem como objetivo acabar com a luta.

O Muay Thai passou por transformações durante os anos. Desde a forma de defesa até a inclusão de técnicas do boxe inglês como forma de aperfeiçoar a arte marcial. O objetivo dos golpes sempre é o nocaute por isso são feitos de forma sequencial.

Deixe um comentário