Home Cidades Anápolis tem registrada 1ª morte por gripe Influenza

LUIZ EDUARDO ROSA

A campanha de vacinação contra o vírus H1N1 foi antecipada nacionalmente para o dia 13. Apesar de todas as pessoas terem a possibilidade de contágio, a campanha é destinada a grupos específicos de pessoas.

Em Anápolis, quatro casos de contágio dos vírus H1N1, que geram a gripe Influenza, estão sob investigação e um óbito foi confirmado pela Secretaria Municipal de Saúde (Semusa). Segundo informações da Assessoria Técnica da Semusa, se trata de uma mulher de aproximadamente 30 anos e que a notificação foi feita na última terça-feira (12), porém a morte pode ter sido dias antes. Não houve precisão da data. Os números deste ano já alarmam a população goiana e a rede de saúde pública no Estado.

A campanha de vacinação contra a gripe Influenza, causada por três tipos de vírus H1N1, em Anápolis seguiu o calendário nacional e iniciou na última quarta-feira (13), seguindo até o dia 20 de maio deste ano. Durante a campanha são 41 postos de vacinação que funcionam das 8h às 17h. A vacinação está disponibilizada para grupos específicos por perfis de pessoas. No dia 30 deste mês, em um sábado, será feito o Dia “D” da campanha com o aumento de mais 30 postos itinerantes na cidade.

Os perfis que serão vacinados são pessoas com mais de 60 anos, crianças com mais de seis meses e com menos de cinco anos, trabalhadores da saúde, gestantes e mulheres com até 45 dias pós-parto, portadores de doenças crônicas, indígenas e presidiários. No caso dos portadores de doenças crônicas, ao vacinar devem levar uma declaração do médico atestando a doença e liberando para a vacinação.

O público total na cidade é de 85,3 mil pessoas e a meta é que a campanha atinja 60% do público alvo, sendo 68 mil pessoas. Especificamente, os grupos alvos em Anápolis são 34 mil idosos, 723 puerperas, 4,4 mil gestantes, 10,7 mil trabalhadores da saúde e 23 mil crianças na faixa etária indicada. Estimada população carcerária de 500 pessoas.

Segundo a assessoria de comunicação da Semusa, a população acamada com doenças crônicas tem à disposição serviço especial para serem vacinadas em sua residência. A solicitação é feita na unidade do Programa da Saúde da Família da região de abrangência em que está localizada a residência do acamado e também pelo telefone 3902-2493, para os bairros que não tenham a cobertura deste programa.

“Todas as pessoas estão sob risco de contágio, porém devido a dificuldade de produzir vacinas a toda população, serão priorizados os casos que possam ter maior complicação”, explica o assessor técnico da Semusa, Marcelo Daher. A baixa capacidade produtiva nacional e a disponibilização da vacina no mercado internacional tem sido impactante até para a rede privada, que aponta insuficiência para a demanda existente.

Cuidados

Além da imunização contra a gripe Influenza, que é restrita aos grupos de público alvo, alguns comportamentos podem ser adotados pela população de uma maneira geral. “O principal cuidado para prevenir o contágio é a higienização das mãos sempre que possível”, explica Marcelo Daher. As gotículas contendo os vírus de espirros de pessoas gripadas podem deixar o vírus expelido no ar, como também o contato da mucosa (boca) em objetos pode transferir o vírus para a superfície.

A utilização de proteções para espirro de quem está gripado, independente de ser pelo vírus H1N1, evita a proliferação de qualquer vírus no ar de maneira a passar para outras pessoas. Com isso a opção por lenços descartáveis se apresenta como a melhor alternativa, a mais higiênica. Evitar aglomerações em lugares fechados é outra orientação feita pelo Assessor, tendo em vista a possibilidade de circulação do vírus expelido de pessoas gripadas pelo ar.

Deixe um comentário