Home Esportes “Meu desejo é permanecer à frente da Executiva do Galo”, diz Fernando...

ORISVALDO PIRES

O vereador Fernando Cunha afirma que está disposto a permanecer na presidência do Anápolis para mais um período. Em 2015 assumiu mandato tampão, em substituição a Ademir Marinho, e agora tem a chance de ser reeleito para mandato completo, de dois anos. As eleições no Galo, segundo estatuto, são previstas para o final do mês de outubro.

À equipe Geração do Esporte (Rádio Manchester) e ao Jornal Estado, Fernando Cunha reconhece a importância do trabalho dos diretores André Hajjar e José Paulo Tinazo para o Galo, o acerto da parceria com o empresário Francis Melo e diz que tem confiança no trabalho do técnico Ricardo Drubscky, que também terá a função de ‘menager’ no Galo.

Como avalia este período em que responde pela presidência do Anápolis?
É uma honra presidir o Galo. O time que deu a maior glória para a cidade, o título de 1965. Vinha atuando como diretor e agora como presidente. Foi um período produtivo, chegamos à final do Goiano, disputamos dignamente o Brasileiro da Série D e resgatamos a autoestima do torcedor.

A parceria entre o Anápolis e o empresário Francis Melo, trouxe outro perfil de gestão?
Sem dúvida. Hoje o Anápolis tem gestão mais profissional. Este comportamento foi primordial. Temos hoje diretores sem vaidade, todos sabem o que tem que ser feito, cada um em sua área e todos se ajudando. Espero que continuemos juntos para 2017.

O que a diretoria pensa efetivamente em termos de categoria de base?
Essa nova gestão veio para isto, fortalecer as categorias de base, para que dê frutos para o profissional. Já temos jogadores que podem até compôr o grupo principal em 2017. Sabemos que um clube só se viabiliza se formar atletas.Trabalhamos firme para que possamos dar alegria aos torcedores também nas categorias básicas.

O senhor tem a disposição de continuar na presidência do Anápolis?
Estamos iniciando as conversas sobre a eleição. Não tenho vaidade. O que espero é que esse grupo continue no clube, pois faz muito bem para o Anápolis. Temos uma sede que é referente, sempre melhorada. Queremos colher frutos da categoria de base. Independente do cargo a ser assumido, torço para que o grupo continue. Tenho certeza que será bom para o clube e a torcida.

O clube conta com cerca de 15 jogadores acertados e Ricardo Drubscky será ‘menager’. Está tudo dentro do planejado?
Está tudo dentro do planejado. Vejo que o Ricardo Drubscky veio para somar com o Anápolis. É um profissional muito competente. Gostamos do trabalho dele. Esperamos evoluir mais em 2017. Ele é estudioso, sem vaidade, com os pés no chão, assim como pensa a diretoria. Contamos todos os anos com apoio do poder público por meio do programa ‘Torcida Premiada’, resgatamos a torcida do Anápolis, movimentamos toda a cidade. Esperamos montar um time competitivo não apenas para o Goiano, mas para o ano todo.

Valeu a pena disputar o Brasileiro da Série D em 2016?
Todos sabem que a Série D caiu no colo. Esperávamos para 2017. Mas foi bom para que pudéssemos conhecer um pouco a competição. O Anápolis há alguns anos não disputava uma competição nacional. A gente acaba esquecendo um pouco como é uma competição assim. Agora é planejar o ano que vem para evoluírmos.

Em 2017 o Anápolis tem quatro competições. Como o clube se prepara já que será exigido mais investimento?
O Anápolis hoje tem gestão planejada. Já estamos debatendo a temporada de 2017. Sabemos que não é fácil, mas contamos com a torcida para disputar bem as competições. O Anápolis é o único time que representa a cidade nas competições nacionais e na primeira divisão do Goiano, então a responsabilidade cresce. Com os pés no chão e responsabilidade vamos montar um grande elenco, que dará alegrias ao nosso torcedor.

Goiano, Copa Verde, Copa do Brasil e Brasileiro Série D: qual a prioridade do Anápolis?
É difícil escolher uma. São competições que buscamos com afinco ao longo dos tempos. O Anápolis vai movimentar a cidade. O torcedor independe de competição, ele quer título. Vamos entrar nas competições pensando em título. O sonho, menor ou maior, precisa ser sonhado. Então vamos sonhar grande. Vamos disputar as competições no mais alto nível possível.

O que o senhor deseja dizer ao torcedor tricolor que aguarda 2017 com ansiedade?
Primeiro que nós da diretoria estamos animados. Segundo, que eles também acreditem. Com a junção da diretoria, do elenco e do torcedor, todos ficam incentivados.

Acredita que a torcida realmente ajuda o time a conquistar vitórias?
Claro que sim. Veja por exemplo o que a torcida do Flamengo fez com o time no Campeonato Brasileiro. Com o Anápolis a prova foi o jogo diante do Atlético, na semifinal e com o Goiás na final do Campeonato Goiano no Estádio Serra Dourada. A torcida junto, batendo no peito, gritando o nome dos jogadores. É isso que queremos do torcedor. Que compareça aos jogos, incentivar, porque fora de campo a diretoria dará todo suporte possível.

Deixe um comentário