Ad
Home Últimas Notícias Antibiótico ministrado de forma errada em animais pode criar superbactérias

O uso indiscriminado de antibióticos vem preocupando a todos, principalmente a Organização Mundial da Saúde (OMS)

ANDRÉ FELIPE RIBEIRO

A proliferação de bactérias resistentes a todos ou quase todos os antibióticos deixou de ser uma ameaça para se tornar uma realidade. O alerta foi feito pela Organização Mundial de Saúde (OMS). De acordo com a entidade, esse tipo de microrganismo já pode ser encontrado no mundo inteiro, o que configura um quadro de grave preocupação.

Vários estudos mostraram que o uso de antibiótico em animais contribuiu para a resistência antimicrobiana em humanos, porque muitas das classes de antibióticos que se usa em animais também são usadas em humanos para tratar doenças graves causando uma falha terapêutica.

Atualmente há vários registros de mortes causadas por superbactéria, também conhecida como bactéria multirresistente. Elas têm um efeito muito forte no organismo. “Os seres humanos podem ser afetados por bactérias resistentes oriundas dos animais, pois existe o uso indiscriminado de antibiótico na medicina veterinária. Por exemplo, quando o animal usa antibiótico sem necessidade, isso já cria resistência às bactérias que lá se encontravam”, explica o médico veterinário Lucas Nogueira.

As superbactérias surgem quando há o abuso na utilização dos antibióticos ou o mau uso desses medicamentos. O uso exagerado de antibióticos estimula as bactérias a encontrar formas de driblar os efeitos dos remédios, tornando-se resistentes a seus efeitos.

No caso da interrupção precoce do tratamento, o que ocorre é a morte de parte dos microrganismos. Os mais fortes, que deveriam ser mortos se a utilização seguisse o tempo certo, sobrevivem. E será preciso usar antibióticos ainda mais potentes em uma próxima infecção.

“É uma bactéria que vem de várias pessoas com o uso indiscriminado do antibiótico nos animais e em humanos, então os antibióticos que temos no mercado tanto na medicina humana quanto na medicina animal não consegue combater essa superbactéria causando vítimas fatais”, diz o veterinário.

De acordo com Lucas Nogueira, umas das causas que mais matam pessoas nas UTI são quando elas estão imunodeprimidas, vulneráveis, e contraem essa bactéria que está no ambiente, tornando os antibióticos incapazes para o tratamento.

Os antimicrobianos são medicamentos que revolucionaram a história da medicina. Eles são nada mais do que um fármaco que consegue penetrar a barreira de proteção da bactéria e matá-la ou diminuir sua proliferação.

Os antibióticos ajudam na produção e eficiência alimentar dos animais que são gerados para o consumo humano, como carne, leite e ovos. A justificativa principal do uso de antibiótico na medicina veterinária é a proteção e o bem estar animal, a prevenção da propagação de epidemia infecciosa, melhora da eficácia da produção animal e prevenção da transferência de zoonoses de animais para seres humanos.

A conscientização das pessoas donas de animais e dos profissionais da medicina humana e veterinária em relação ao uso controlado dos antibióticos é de suma importância para combater a criação dessas superbactérias.

Atualmente, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento que fiscaliza a compra e venda dos antibióticos, além de receitas controladas. De acordo com o veterinário Lucas Nogueira, o resultado desse trabalho tem sido positivo.

Deixe um comentário