Home Política Surgem possíveis nomes para reforma administrativa da gestão Roberto Naves

Partidos aliados começam a apresentar opções para reforma administrativa que prefeito terá que promover neste início de ano

FERNANDA MORAIS

Desde o início desse ano o prefeito Roberto Naves (PTB) começou a ser cobrado com maior frequência pelos partidos da base aliada. Aproveitando o momento em que ele se prepara para promover uma reforma administrativa, as legendas que apoiam a gestão municipal estão em busca de maior espaço no primeiro escalão.

Pelo menos seis cargos são disputados pelos aliados: secretarias de Desenvolvimento Econômico, de Esportes e de Desenvolvimento Social, Chefia de Gabinete e Controladoria. Além disso, está previsto que o atual secretário de Defesa do Consumidor, Valeriano Abreu, deixe o cargo em breve, para se dedicar a sua candidatura pelo PSC para deputado federal.

Alguns nomes já são especulados para compor a nova formatação do governo Naves. Existe a expectativa de que o empresário Ricardo Beze assuma a secretaria municipal de Desenvolvimento Econômico; o empresário Karin Abrão, ex-diretor do Anápolis Futebol Clube, a Secretaria de Esportes e o também empresário Gerson Fallacci vá para o Desenvolvimento Social. A Chefia de Gabinete pode ser ocupada por Nelson Gomes e a Controladoria poderá ficar sob a responsabilidade de Lúcio Flávio Cruccioli.

Fallacci é hoje secretário interino de Esportes. Nelson Gomes está na assessoria especial que cuida da articulação parlamentar. Cruccioli exerce hoje a função de chefe de gabinete do prefeito. O nome de Fabrício Lopes da Luz, que hoje atua no Departamento Jurídico da Companhia Municipal de Trânsito e Transporte (CMTT), pode ser a indicação para a Secretaria de Defesa do Consumidor. Ele é filho do ex-vereador Ilmar Lopes da Luz, ligado ao deputado estadual Carlos Antonio (PSDB).

O prefeito terá que promover mudanças no seu secretariado devido ao processo eleitoral, mas aproveitará para também definir os nomes de pastas ocupadas por secretários interinos. A partir do segundo semestre do ano passado, o petebista ficou impedido de nomear novos servidores porque o gasto com pessoal ultrapassou o limite prudencial estabelecido pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). Com isso, auxiliares que deixaram a gestão foram substituídos por nomes do primeiro escalão que já estavam nomeados, acumulando funções. A expectativa do prefeito é que esse impeditivo seja revogado neste início do ano e ele, enfim, possa completar o secretariado.

Interinos
Existe a possibilidade do vice-prefeito Márcio Cândido (PSD) disputar uma vaga na Assembleia Legislativa. Nesse caso, ele teria que se desincompatibilizar da Secretaria de Governo e Recursos Humanos. Nomes de segundo escalão aparecem como possíveis candidatos. É o caso do ex-vereador Sargento Pereira Júnior (PSL), hoje responsável pela Fiscalização e Posturas.

A recomposição nas secretarias hoje ocupadas por interinos deve ser mais profunda. São quatro pastas. A Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Agricultura hoje tem como responsável o assessor especial de Segurança Pública, Glayson Reis. Ela tinha como titular o empresário Vander Lúcio Barbosa, que na época que assumiu o cargo era cota do Podemos (Ex-PTN). Ele acabou deixando o partido, continuou na pasta, mas resolveu deixá-la no final do ano.

O secretário interino de Esportes hoje é Gérson Santana (PRB), que no começo do mandato estava na Chefia de Gabinete. A pasta era cota do PV, com Victor Emanuel Ribeiro, a primeira baixa do primeiro escalão.

O prefeito também quer um nome definitivo para a Secretaria de Desenvolvimento Social, Trabalho, Emprego e Renda. Com a saída de Nair Moura Vieira, a pasta está sendo ocupada interinamente por Rodolfo Valentini, que é presidente do Issa.

Roberto Naves também terá que nomear alguém para o lugar do advogado Arinilson Mariano, que deixou a Controladoria-Geral do Município. O órgão hoje tem como interina a servidora da Procuradoria-Geral do Município Alaine Alves Valim.

Em relação às eleições de outubro deste ano, Roberto Naves disse recentemente que sempre é cobrado para que Anápolis consiga aumentar sua representatividade na Assembleia Legislativa. O petebista defendeu que os partidos se organizem e lancem nomes competitivos pela cidade, mas com cautela para evitar a pulverização dos votos como tem acontecido nos últimos pleitos.

Câmara
O início de 2018 também pode representar uma mudança na Câmara Municipal, caso o vereador Leandro Ribeiro (PTB) vá para o governo estadual. Sua nomeação já seria para a gestão de José Eliton (PSDB), vice que assume a vaga de Marconi Perillo (PSDB), que deixar o cargo em abril. Leandro iria para a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Científico e Tecnológico e de Agricultura, Pecuária e Irrigação (SED), desde que o titular atual, Francisco Pontes, empresário anapolino, manifeste interesse de retornar para a iniciativa privada.

O vereador Leandro Ribeiro confirmou na semana passada ao JE que caso seja convidado, aceitará o desafio e promete trabalhar para dar continuidade ao desenvolvimento do Estado e atender as demandas da cidade.

Deixe um comentário