Ad
Home Últimas Notícias Aos 57 anos, morre vereadora Vilma Rodrigues

FERNANDA MORAIS

Uma triste notícia foi confirmada na tarde desta quarta-feira (14.mar.18). Aos 57 anos morre a vereadora Vilma Rodrigues que desde o dia 27 de janeiro estava internada em estado grave na UTI do Hospital Araújo Jorge em Goiânia diagnosticada com um craniofaringioma, um tumor benigno localizado na base do cérebro, em uma região muito delicada.

Por enquanto a família de Vilma não se pronunciou sobre o assunto. Hoje de manhã o informativo do Boletim Médico da Associação de Combate ao Câncer (ACCG) – Hospital Araújo Jorge de Vilma Rodrigues Correa, divulgado as 10H46 dizia que ela estava “em coma, respirava por aparelhos, temperatura normal, pressão baixa, diurese diminuída, estado gravíssimo”. Assinou o boletim o médico Bruno Francisco.

A vereadora Vilma Rodrigues foi eleita pelo PSC com 3.557 votos em sua primeira eleição disputada, no mês de outubro de 2016. Ela entrou para história política da cidade como a mulher mais bem votada entre todas as eleições municipais já realizadas. No ranking geral, Vilma Rodrigues é a segunda vereadora que conseguiu mais votos em uma eleição, ficando apenas atrás do recordista, Antônio Roberto Gomide (PT), que em 2016 somou 11.647 votos.

O presidente da Câmara Municipal, Amilton Filho (SD), lamentou o ocorrido, disse que o Legislativo, assim como toda cidade de Anápolis está em luto pelo falecimento da vereadora. Foram cancelados os eventos da Câmara Municipal que estavam agendados para a noite desta quarta-feira (14.mar.18) , o projeto Câmara nos Bairros que aconteceria no Colégio Estadual Plínio Jaime, assim como a audiência pública, de autoria da vereadora Professora Geli Sanches (PT), marcada para a manhã de quinta-feira (15.mar.18), em homenagem ao Dia Internacional da Mulher.

Familiares da vereadora pedem um pouco de calma para repassar maiores informações aos veículos de comunicação. No momento estão todos abalados, mas em breve divulgarão o local do velório e sepultamento de Vilma Rodrigues.

Deixe um comentário