Ad
Home Últimas Notícias Observatório Municipal de Segurança age para conter criminalidade em praças

LUANA CAVALCANTE

As cenas estão no cotidiano das pessoas que precisam passar pela Praça Abílio Wolney, conhecida como Praça do Ancião. O local se tornou ponto de vendas de drogas. Por atrair vários jovens que gostam de praticar esportes como skate e patins, a aglomeração facilita a ação dos criminosos.

Isso ao lado do principal prédio do Poder Executivo municipal, localizado no cruzamento das avenidas Brasil com a Goiás. O assessor especial do Observatório Municipal de Segurança, delegado Glayson Reis, explica que a situação é um problema antigo e por anos foi ignorada, mas que algumas medidas já começaram a ser tomadas desde janeiro deste ano para reverter o quadro.

Glayson ressalta que foram elaboradas ações que integram o Plano Municipal de Segurança. “Consiste na Patrulha Patrimonial com vigias em escala de 24 horas, banco de horas da Polícia Militar e uma ação conjunta com os serviços de informação da PM junto com a Polícia Civil”, detalhou à reportagem Glayson Reis.

As ações são para inibir todo tipo de criminalidade e são trabalhos específicos não só na Praça do Ancião, mas em todas as praças e parques da cidade. “Fizemos uma readequação das câmeras de videomonitoramento porque algumas não estavam funcionando ou não tinham um bom ângulo”, completou.

Em relação ao número de jovens que frequentam a Praça do Ancião, Glayson comentou que não se pode ser preconceituoso com nenhuma modalidade esportiva e que qualquer concentração de pessoas pode motivar o uso de drogas. “Não é o skate e patins que atraem esse tipo de crime, tanto faz o esporte. Pode ser futebol, reunião social, até missa. Esses problemas de violência e criminalidade existem”, falou.

A explicação para o tráfico de drogas na Praça do Ancião foi a falta de fiscalização ao longo dos anos. “Para resolver isso fizemos uma parceria com os responsáveis pelos esportes radicais para que junto com eles possamos realizar ações preventivas com o pessoal que frequenta a praça”, disse o assessor especial do Observatório Municipal de Segurança.

Glayson Reis afirma que a Praça do Ancião é sim um espaço para a família e que pode ser frequentada tranquilamente. “Desde que assumimos fizemos várias apreensões de drogas. Sempre teremos ali a Polícia Militar e vigias que estão sendo treinados”, garantiu.

Guarda Civil
Sobre as ações em Anápolis, Glayson Reis informou que o resultado no Parque Ipiranga já é visível e que 85% dos roubos e furtos diminuíram. Para continuar esse trabalho, a ideia é criar a guarda civil. “Futuramente a guarda civil tomará conta disso. Os estudos já estão prontos, na mão do prefeito Roberto Naves, é só esperar sair a questão do limite prudencial para que ele anuncie o concurso ou o início das atividades”, concluiu o delegado.

Deixe um comentário